Conheça as causas e como minimizar o conflito de gerações nas empresas. Para qualquer empresa, é muito importante contar com uma equipe bem estruturada e que alcance bons resultados, não é? Afinal, ter colaboradores preparados, motivados e experientes é o que proporciona uma boa performance. Faz com que o negócio seja bem posicionado em um mercado competitivo.

Mas há um fator que pode influenciar negativamente esse desempenho: o conflito de gerações. É comum que profissionais de diferentes perfis e idades se relacionem e trabalhem juntos. Suas expectativas e visão sobre a organização nem sempre caminharão em conjunto. Isso pode interferir bastante em metas, produtividade e resultados.

Sendo assim, como enfrentar esse impasse e diminuir qualquer possível desconforto no ambiente corporativo? Separei algumas dicas e outras informações neste artigo. Confira!

Conheça as causas e como minimizar o conflito de gerações nas empresas

Como o conflito de gerações ocorre nas empresas e quais são suas causas e origens?

Em empresas antigas e tradicionais, existem muitos cargos de gestão ocupados por profissionais por volta dos 50 anos que têm uma carreira consolidada. Contudo, a equipe sob sua direção costuma ter colaboradores mais jovens, com outras vivências e um olhar mais aguçado para a mudança e a inovação.

Seja qual for a faixa etária média, os conflitos geralmente envolvem a pouca experiência dos mais jovens, enquanto os mais velhos são repreendidos por terem um pensamento resistente ao que é novo. Na dificuldade de comunicação entre as duas gerações, podem nascer diversos julgamentos e impressões negativas a respeito de um e outro.

Isso atrapalha o rendimento e cria certo desinteresse por compartilhar ideias, que não seriam aceitas por todas as partes envolvidas em um projeto, por exemplo. Mas esses não são os únicos motivos dos conflitos de gerações. Hoje, a informação corre solta em um mundo altamente conectado. Diante disso, idades diferentes apresentam hábitos distintos de interação, mesmo que todos estejam conectados o tempo todo.

Um profissional que tem habilidades digitais nem sempre tem habilidades para interações pessoais e vice-versa. Deste modo, a manutenção de relacionamentos nem sempre é satisfatória. As gerações se afastam e fica complicado encontrar pontos em comum que estabeleçam um elo saudável.

Quais são as principais consequências para os negócios?

O conflito de gerações pode gerar impactos bastante negativos para um negócio. Por exemplo, a falta de comunicação adequada pode resultar em estresse e insatisfação na rotina de trabalho. Os colaboradores se tornam mais fechados e menos dispostos a ouvir feedbacks, pois se sentem inseguros.

Esse sentimento se reflete no empenho em projetos, ações e estratégias da empresa. Quando o funcionário não se identifica com a organização e quem está ao seu redor, é comum que ele deixe de dar o seu melhor. Pode também deixar de compartilhar seu conhecimento para atingir metas. Mudanças não são muito queridas e os relacionamentos ficam cada vez mais frágeis, até mesmo entre quem se identifica entre si.

Então, esse é um desafio muito grande para o setor de Recursos Humanos. Sua principal missão nesse cenário passa a ser buscar por soluções alternativas. Também se dedicar a estimular o espírito de equipe para que as peças finalmente se encaixem. Além, é claro, de reconhecer competências e habilidades individuais para que a equipe perceba que as diferenças podem ser usadas para o bem.

Como contornar esse impasse?

É muito importante que o RH se empenhe em lidar com o conflito de gerações para que a empresa, bem como seus colaboradores, continue a crescer. Para tanto, algumas iniciativas podem ser implementadas de acordo com a necessidade da situação e o perfil do negócio. Mas aqui estão algumas sugestões que eu sempre recomendo.

Realize treinamentos profissionais

Em primeiro lugar, é muito importante que o colaborador mantenha seus conhecimentos atualizados. Não importa de que geração ele é: é indispensável saber um pouco mais sobre tecnologia e as novidades do seu setor de atuação.

Para isso, treinamentos profissionais são sempre uma ótima saída. Quando a pessoa aprende muitas coisas novas, aos poucos deixa suas ressalvas de lado. Assim, passa a entender o que mudou e como é importante aderir a essas mudanças.

Invista em treinamentos comportamentais

Treinamentos comportamentais também fazem toda a diferença. O RH pode promover dinâmicas e atividades em grupo para que os colaboradores se conheçam melhor. Também para que identifiquem no outro suas melhores características.

Projetos em equipe com funções bem determinadas fazem com que todos interajam mais e encontrem interesses e conhecimentos em comum. Além disso, ajudam a estimular a conversa, a troca de experiências e novas visões sobre o mundo corporativo.

Construa uma comunicação interna eficiente

É importante que todos os colaboradores sejam tratados da mesma maneira e recebam a mesma mensagem por parte da empresa. Isso significa que a comunicação interna deve ser eficiente, inclusive aquela que é individual.

Converse com cada funcionário, conheça suas angústias e expectativas. Entenda seu ponto de vista e procure formas de fazer com que ele seja mais participativo em tomadas de decisão que também dependam de outras pessoas. Assim, ele entende que compreender o próximo é essencial para uma caminhada em conjunto para o sucesso.

Confie nos líderes para ajudar na missão

A figura do líder é um pilar importante na gestão de problemas. Ele será o grande ponto de equilíbrio entre as gerações para gerenciar relacionamentos, promover integração e estimular o respeito à diversidade.

Se ele atuar com uma atitude positiva e entusiasmada, melhor ainda. Assim, conseguirá contagiar quem está a seu redor, gerar mais engajamento, produtividade e resultados sustentáveis para o negócio. Para completar, será um reforço para a comunicação da empresa.

Sem dúvidas, a gestão de conflito de gerações é um desafio para qualquer empresa. Porém, ao colocar essas dicas em prática, as chances de que tudo se resolva da melhor maneira possível são muito altas. Então, a situação nem vai mais parecer tão complicada. A empresa se tornará um lugar inclusivo e agradável em que todos são valorizados e têm seu próprio espaço.

Gostou de saber um pouco mais sobre esse assunto? Se sim, tenho um convite para você. Que tal acessar alguns conteúdos que produzi para colaborar para o seu crescimento profissional? Identifique suas necessidades e baixe agora mesmo meus e-books para melhorar seu desempenho e atuação no mercado de trabalho!

Rachel Jordan

Rachel Jordan é uma referência no mercado brasileiro de Consultoria de Imagem e Comportamento. Presidente da Associação Internacional de Consultores de Imagem (AICI) Chapter Brasil, Rachel ministra cursos, oficinas e workshops por todo o Brasil e também cursos online. É colunista de moda da revista Claudia, colaboradora de sites de comportamento e tem um canal no Youtube, o Falando de Estilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *